Meu Querido Mês de Agosto!

O mês de Agosto está a chegar… o querido mês de Agosto dos emigrantes… o querido mês de Agosto do Allgarve e dos turistas… da praia e das férias.

Este ano o mês de Agosto afigura-se diferente… menos turistas, o Allgarve sem ingleses volta a ser o Algarve dos portugueses… e as festas da aldeia foram canceladas! 

Contudo continuamos a pensar em férias, em alternativas para podermos descansar do bombardeamento do Covid, do confinamento, das máscaras, do afastamento físico, da ameaça… queremos o mês de Agosto para relaxar e esquecer as preocupações!

Inventam-se novas formas de férias! As casas com piscina foram alugadas para os veraneantes se isolarem atrás dos muros e poderem veranear em segurança… sozinhos ou em pequenos grupos… sem grandes partilhas! Inventam-se novas formas de férias, sem o bulício dos festivais de verão, das festas, das feiras e dos ajuntamentos.

O querido mês de Agosto dos emigrantes é um Agosto de afectos, da reunião com os familiares, de retorno às origens, de regresso à língua materna, de matar saudade dos hábitos e costumes da terra que os viu nascer e crescer.

Muitos emigrantes não virão este mês de agosto, por medo de infectar os pais e vizinhos idosos, por medo de terem de cumprir uma quarentena no regresso…

Mas num país onde o interior está envelhecido e desertificado, a ausência dos emigrantes representa, também, a ausência de afectos para os residentes anciãos. As festas que foram canceladas nas vilas e aldeias deste país traziam a vibração da vida e da alegria, e eram um balão de oxigénio para enfrentar o inverno frio e ermo.

Mas e os que vêm? Como serão recebidos? Com abraços ou com receio e desconfiança? E como vêm? Respeitadores das medidas de segurança ou inconscientes e temerários?

O mês de Agosto no interior do país é um Agosto de afectos, onde se retomam laços e se cuida do que é de todos. A perda do mês de Agosto é uma perda de afectos e de reencontros.

No Algarve, o mês de Agosto vende festas onde se promovem as amizades de verão, festas onde se promovem os produtos regionais para os estrangeiros (sejam eles de fora ou de dentro), festas na praia, sunsets, festas pela noite dentro em discotecas conhecidas aquém e além fronteiras… como será fazer festas sem pessoas, sem bulício?

Em ambos os casos, este verão será diferente… as férias serão diferentes…

Mas procurem evitar que distância física impeça o reencontro social e a manutenção dos afectos. Mantenham a alegria presente e a proximidade emocional.

Aproveitem para falar sobre o abraço! As palavras e o olhar também podem abraçar e beijar, a 2 metros de distância…

Desfrutem-se com responsabilidade e tomem decisões conscientes e informadas. Celebrem os afectos… são compatíveis com a segurança.

Viver é um risco, calculado a cada momento.

“Meu querido mês de Agosto

Por ti levo o ano inteiro a sonhar

Trago sorrisos no rosto

Meu querido mês de Agosto

Porque sei que vou voltar”

Dino Meira

Matilde Saldanha Fernandes

Psicóloga e Psicoterapeuta

2 Comments on “Meu Querido Mês de Agosto!”

  1. Querida Dra Matilde, foi com emoção que li as suas palavras… É de facto um Verão diferente e que sem dúvida iremos dar mais importância a pequenos pormenores e momentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *