Do Cuidar…

Hoje trago uma das fábula de Hygino, o Mito do Cuidar, deparei me com esta história num texto de Borges-Duarte de 2010, A Fecundidade Ontológica da Noção de Cuidado. De Heidegger a Maria de Lourdes Pintasilgo e quis partilhá-la convosco porque nos fala de um tema importante e do qual temos vindo a falar aqui neste nosso espaço, disfrutem.

“Certo dia, ao atravessar um rio, o Cuidado (Cura) viu um terreno de barro. Pensativo, tomou um pouco de barro e começou a dar-lhe forma. Enquanto refletia sobre o que tinha feito, apareceu Júpiter. Cuidado pediu-lhe que lhe insuflasse espírito. Júpiter acedeu de bom grado. Quando, porém Cuidado quis dar um nome à criatura que havia moldado, Júpiter proibiu-lho, exigindo que lhe fosse imposto o seu nome. Enquanto Júpiter e o Cuidado discutiam, surgiu a Terra (Tellus). Mas quando também ela quis dar o seu nome à criatura, por ter sido feita de barro, que era um pedaço do seu corpo, começou uma grande discussão. De comum acordo, pediram a Saturno que fizesse de juiz. E ele tomou a seguinte decisão, que pareceu justa: Júpiter, porque lhe deu o espírito, receberá de volta este espírito, por ocasião da morte dessa criatura. A Terra, que lhe deu o corpo, receberá, também de volta o seu corpo, quando a criatura morrer. Ao Cuidado, porém, que moldou a criatura, ficará esta entregue durante a sua vida. E uma vez que há entre vós acalorada discussão acerca do nome, decido eu que esta criatura será chamada Homem (homo), isto é, feita de humus, que significa terra fértil.”

Espero que tenham gostado tanto como eu gostei.

Nunca se esqueça de cuidar de si próprio, dos outros, de todos os seres que consigo partilham este mundo, todos os dias um bocadinho.

Estamos aqui, Psicologia em Ação!

Sónia Ventura Teixeira, Psicóloga e Cuidadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *